Tenho medo da polícia

protesto1

No último texto que escrevi, tentei ser o mais imparcial possível. Que se dane a imparcialidade! Agora eu tenho uma posição definida em relação aos últimos acontecimentos. Agora ficou clara toda a opressão, o abuso de poder e a manipulação que estavam acontecendo durante as recentes manifestações –  que muitos pensam ter forte relação apenas com o aumento de 20 centavos na tarifa do ônibus e metrô. Acontece que é muito mais do que isso. O aumento foi só a gota d’água que levou estudantes, jornalistas, professores, publicitários e artistas às ruas para lutar por seus direitos.

Hoje pensei comigo mesma “Eu tenho medo da polícia”. Não me sinto protegida, me sinto reprimida. Sou jornalista e vi pessoas da mesma profissão, no meio de uma cobertura jornalística, sendo abordadas e presas por portarem VINAGRE, vi pessoas reunidas gritando “Sem Violência!”, APENAS caminhando pela Av. Paulista, sendo recebidas pela polícia com bombas de gás e balas de borracha. Teve gente que foi baleada no rosto. Vocês acham que isso seja um ato heróico? Eu não, ainda bem que tenho essa consciência.

Porte de vinagre? Cadeia. Protestou? Cadeia. Se você tem barba, você vai para cadeia, porque aparentemente ter barba é um ato político, segundo a declaração de um policial que disse aos seus companheiros para pegarem os “barbudos, maconheiros da USP”. Já pararam para ver como a PM trata os manifestantes? Isso a mídia não mostra. O Jornal Nacional se contenta em mostrar 20 segundos dos protestos e 15 minutos são dedicados para o Pão e Circo da galera.  Os jornais conservadores não mostram a polícia quebrando o vidro de sua própria viatura. Por que será, né? Tudo o que mostram é uma pequena parcela daqueles que protestam pichando patrimônios públicos, mas esquecem de dar voz para aqueles que só querem fazer dessa cidade um lugar melhor, mas acabam sendo vítimas de uma polícia que é paga para PROTEGER o cidadão.

Realmente aconteceu. Estamos vivenciando a história de Winston Smith. A manipulação ideológica, a opressão, a desvalorização das massas, é tudo verdade. Será que vão fazer como o chocolate, em 1984, e reduzir as doses diárias de vinagre? Lutar por seus direitos não é crime, trabalhar como jornalista em uma manifestação também não, muito menos ter uma garrafa de vinagre na mochila. Será que isso não é óbvio?

Eu peço, por favor, que reflita. Se você segue uma linha de pensamento mais conservadora e acredita que os manifestantes e jornalistas são bandidos, por favor reflita. Não se contente com o que a Globo diz, busque outras vozes, outras opiniões. Se pergunte por que uma pessoa que luta por seus direitos, de maneira pacífica, vítima da abordagem violenta da PM, vai parar na cadeia e tem que pagar 20 mil de fiança, sendo que o assassino e o ladrão não passam dois minutos presos.

Para aqueles que acham que os jornalistas, cinegrafistas e manifestantes presos estavam realmente sendo inconvenientes, assistam os vídeos abaixo.

Uma farda não faz um herói, mas sim seus atos. Por isso, se você acredita que um cara de uniforme que aborda pessoas que caminham por uma avenida em prol de seus direitos, ou que agride pessoas simplesmente paradas esperando para pegar o ônibus, seja um herói, tudo o que você terá de mim será meu desprezo. Mas agora que a sua salada foi afetada com a aparente ilegalização do vinagre, a história é outra né? Mas o que você não sabe é que essa causa era sua há muito tempo, as pessoas estão nas ruas lutando pelo SEU direito de ir e vir, SEU direito de se manifestar. Seja um pouco grato por isso.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s